Como a cozinha inteligente vai gerar mais empregos

--><!---->
Como a cozinha inteligente vai gerar mais empregos

Com a chegada de equipamentos inteligentes em restaurantes, resorts e outros empreendimentos gastronômicos, há um temor de que as máquinas substituam os profissionais, causando desemprego. 

De fato, o avanço da tecnologia tem deixado muitos processos autônomos, exigindo menos da intervenção humana. Não só na cozinha, muitas das atividades hoje exercidas por humanos serão realizadas por máquinas no futuro.

Mas, diferente do que se pensa, a cozinha inteligente vai gerar mais empregos no setor.

O conceito de cozinha inteligente

Primeiro temos que entender que a cozinha inteligente não significa apenas um local repleto de equipamentos com inteligência artificial e processos autônomos.

O conceito vai muito além disso: os equipamentos são desenvolvidos para reduzir o desperdício de alimentos, consumo de água e outros recursos naturais.

Sendo assim, a cozinha inteligente contribui para o meio ambiente.

Sem contar que no ambiente de trabalho há um aumento significativo de produtividade, deixando os colaboradores mais eficientes e satisfeitos com a rotina.

Isso porque os equipamentos oferecem cozimento em tempo recorde sem interferir na qualidade e segurança dos alimentos.

Outros processos, como ultracongelamento – que mantém as características e sabor do alimento – e resfriamento, também estão presentes na cozinha inteligente.

Cozinha inteligente abre novos caminhos

Certamente a cozinha inteligente exige menos intervenção humana, logo o número de colaboradores tende a diminuir.

Por outro lado, ela abre novos caminhos para quem está qualificado para atender a essa nova demanda de cozinha.

Pelo Brasil, por exemplo, já existem cursos de qualificação para produzir alimentação sustentável, com descarte consciente e aproveitamento integral dos alimentos.

Nesse novo modelo, tudo se aproveita: sementes, cascas, folhas, talos, cabeça e até rabo de peixes são integrados em receitas tradicionais.

Para isso, no entanto, exige-se equipamentos inteligentes capazes de picar, emulsionar e triturar esses alimentos a fim de aproveitar o máximo de seus nutrientes.

Dessa forma, o avanço da cozinha inteligente significa que o mercado tende a crescer ainda mais. Ou seja, os empreendimentos precisarão de colaboradores com essa expertise.

Os equipamentos mostram o avanço da cozinha moderna

Além de todo o conceito, os equipamentos são de extrema importância para a construção da cozinha inteligente.

Muitos empreendimentos já ganham mais tempo em produção, reduzem os custos com recursos naturais e aumentam a lucratividade, como é o caso deste resort, investindo em equipamentos inteligentes.

Com tecnologia de ponta, os equipamentos Engefood são exemplos de como funciona a cozinha moderna na prática. São eles:

  • Fornos: exigem o mínimo de intervenção humana, proporcionam economia de recursos naturais e apresentam resultados surpreendentes em altas temperaturas.
  • Resfriadores/Ultracongeladores: o mais inovador da tecnologia presente, capaz de resfriar ou congelar o alimento mantendo suas características, texturas e sabor.
  • Processadores: extraem o máximo do alimento, reduzindo o desperdício.
  • Lavadoras de Louça: possuem a capacidade de lavar até 18 pratos com apenas 2,4 litros de água, além de terem a máxima de eficiência na higienização de copos, talheres e utensílios.
  • Embaladoras: preservam a qualidade do alimento, protegem contra as influências mecânicas e reduzem o volume.

Ficou com alguma dúvida? Fale com um dos consultores da Engefood e descubra qual é a melhor solução para o seu food service. 

 

 

Comentários

Amanhã (02/12) estaremos sem nossos serviços de telefonia das 12h às 14h devido a manutenções em nosso sistema. 
O chat do site e os números de WhatsApp funcionarão normalmente.  

Grato pela compreensão.